segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Redação nota 1000 - O docente como protagonista da educação

Este ano teremos uma série de postagens de redações que atingiram nota máxima, considerando os critérios do Enem e ou de importantes vestibulares do Brasil.

A redação a seguir foi proposta e corrigida pela professora Juliana Doerlitz do terceiro ano do Ensino Médio do Cetisa (Centro Educacional Timbó S/A).

Tema: Há como melhorar a educação sem valorizar o professor?

Por Rebecca Raíssa Piovesana

O docente como protagonista da educação

A margem do desenvolvimento de um país é claramente baseada na educação. A educação é o que firma a melhoria de uma sociedade, e também é ela que garante a ordem e o progresso de uma nação. Filósofos modernos, a exemplo de Immanuel Kant, já discutiam a importância da pedagogia para a evolução moral do próprio ser. Contudo, em território verde-amarelista o papel da educação é julgado pelos indivíduos como desprezível e não fundamentalmente necessário para a constituição de cidadãos participativos em seu país, o que resulta em situações vergonhosas em que professores acabam sendo submetidos à violência, além de serem desrespeitados pelas instituições governamentais e pelos próprios alunos, diariamente, através de agressões verbais e físicas, fato que não pode ocorrer.

A violência instaurada no país não se dissemina somente pelas ruas das metrópoles, mas também em várias cidades do interior. Em cidades de todos os estados brasileiros, professores são desacatados e tratados com insignificância pelos estudantes. Isso acontece, pois os educandos são moldados pela sociedade a não reconhecerem o valor do professor como formador ético e intelectual. Segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgados pela BBC, no contexto de desrespeito aos docentes, 12,5% desses profissionais afirmam já ter sofrido algum tipo de problema relacionado à violência em sala. Por esse motivo não só para a formação de futuros cidadãos como também pela questão humanitária, a afronta contra este profissional deve ser impedida.

Immanuel Kant afirma que “O ser humano é aquilo que a educação faz dele”. Porém, se isso for levado em consideração, as frequentes notícias de agressões a esses profissionais que são divulgadas – como o último caso divulgado em mídia nacional e dirigido pela equipe do Fantástico no qual uma professora, na cidade de Indaial, Santa Catarina, foi vítima de ataques físicos e morais de um aluno em ambiente escolar –, mostram que há falhas no sistema educacional.

Portanto, são necessárias medidas para resolver essa situação. Parcerias público-privadas de conscientização à importância do papel desempenhado pelos professores devem ser instauradas. A criação de sindicatos mais atuantes que protejam o trabalho do professor e exijam uma melhor distribuição dos impostos a áreas relacionadas à educação é imprescindível. Inspirado em modelos Noruegueses e, claro, adaptado às condições do país, o Brasil poderá aumentar seus índices educacionais e diminuir as ocorrências de violência contra docentes, pois “A violência, seja qual for à maneira que se manifeste, é sempre uma derrota” (Jean Paul) e consequentemente um retrocesso diante do que se almeja na bandeira nacional.

  

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Redação nota 1000 – O Verdadeiro Tesouro

Este ano teremos uma série de postagens de redações que atingiram nota máxima, considerando os critérios do Enem e ou de importantes vestibulares do Brasil.

A redação a seguir foi proposta e corrigida pela professora Juliana Doerlitz do terceiro ano do Ensino Médio do Cetisa (Centro Educacional Timbó S/A).

Tema: Imigração no Brasil

O verdadeiro tesouro

Por Caio Jacinto

Imigrantes haitianos com carteira de trabalho brasileira
O Brasil tem sido o destino de imigrantes de diversas localidades do mundo por décadas, desde a sua colonização. O amplo território nacional e as oportunidades de ter uma vida digna são fatores que atraem as pessoas de outros países para o Brasil. E esses povos trazem consigo seus hábitos, seus costumes e suas crenças, fatores que tornam a cultura brasileira tão diversificada.

O fato de a imigração no Brasil ser tão frequente neste século, não muda a identidade de diversificação do país. Afinal, ela foi formada justamente através do processo de imigração. Diferentemente de países europeus, por exemplo, os quais ao longo da história, têm demonstrado certa incompatibilidade de miscigenação por parte de outros povos.

Para o Brasil, enquanto houver oportunidades de vida digna a tais povos, a única e relevante consequência será a de aumento de diversidade cultural. Por isso deveriam ser criados órgãos governamentais de assistência a imigrantes, no intuito de prestar assistência a essas pessoas até que elas se reestabeleçam principalmente no trabalho e na moradia. Porém, muitas vezes, na árdua busca desse recomeço, acabam deparando-se apenas com preconceito, rejeição e críticas.


Portanto, o papel do homem na sociedade é o de acolher o próximo, afinal, este poderá estar em necessidade posteriormente. Dessa forma, o mundo poderia ser muito mais diversificado e pacífico sem o tamanho apreço pelas raízes comportamentais. Afinal, o verdadeiro tesouro se encontra na troca de ideias e experiências, e não no próprio fechamento numa espécie de “bolha de autopreservação” rejeitando qualquer tipo de contato com o diferente. Enquanto a variedade do saber é oprimida, a ignorância do homem o cega.

Artigo - O Lixo no Brasil e a PNRS

(PNRS: Política Nacional dos Resíduos Sólidos)

Em 2012, a novela Avenida Brasil tinha como plano de fundo plano de fundo, o lixão de Jardim Gramacho - RJ e um grave problema ambiental que infelizmente nosso país ainda enfrenta. O descarte adequado do lixo urbano deveria ser implementado em todos os 5.670 municípios do Brasil. Mas as coisas não ocorreram tão rapidamente quanto se esperava.

Lixão em Jardim Gramacho - RJ
Mesmo com o fim do prazo para a aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) em 2014, a situação do destino do lixo no Brasil pouco mudou. Se, em 2013, 41,7% do lixo era depositado em locais considerados inadequados (lixões e aterros controlados), em 2014, essa parcela foi de 41,6% – redução de apenas 0,1 ponto percentual.

Nos últimos 11 anos, o aumento da geração de lixo no país foi muito maior do que o crescimento populacional. De 2003 a 2014, a geração de lixo cresceu 29%, enquanto a taxa de crescimento populacional foi de 6%.

Mesmo com a retração econômica, o ano de 2014 registrou um aumento da produção de lixo por pessoa em comparação ao ano anterior.

Lixão de Caicó - RN
Cada brasileiro produziu em média 1,062 kg de resíduos sólidos por dia. Ao longo do ano, foram 387,63 kg de lixo per capita, aumento de 2% em relação a 2013.

Ao todo, foram produzidos 78,6 milhões de toneladas de resíduos sólidos no Brasil durante o ano de 2014.

Os dados são do Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil de 2014, da Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Os tipos de lixo

O lixo é subdividido em tipos de acordo com sua natureza física, composição e riscos oferecidos. Seguem abaixo essas divisões:

· Lixo doméstico: Alimentos e sumos produzidos nas residências;
· Lixo industrial: Carvão mineral, lixo químico, fumaça;
· Lixo hospitalar: Material produto de cirurgias e de outros procedimentos hospitalares;
· Lixo agrícola: Esterco, fertilizantes;
· Lixo radioativo: Como o próprio nome sugere, são rejeitos radioativos oriundos de hospitais, usinas nucleares, centros de pesquisas etc. Ex: Urânio, Césio, Estrôncio;
· Lixo tecnológico: TV, rádios, materiais eletrônicos.

A Política Nacional dos Resíduos Sólidos

A Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é bastante atual e contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao País no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.

Prevê a prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado).

Institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: dos fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, o cidadão e titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos na Logística Reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo e pós-consumo.

Cria metas importantes que irão contribuir para a eliminação dos lixões e institui instrumentos de planejamento nos níveis nacional, estadual, microregional, intermunicipal e metropolitano e municipal; além de impor que os particulares elaborem seus Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

Também coloca o Brasil em patamar de igualdade aos principais países desenvolvidos no que concerne ao marco legal e inova com a inclusão de catadoras e catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, tanto na Logística Reversa quando na Coleta Seletiva.

Além disso, os instrumentos da PNRS ajudarão o Brasil a atingir uma das metas do Plano Nacional sobre Mudança do Clima, que é de alcançar o índice de reciclagem de resíduos de 20% em 2015.

O lixão da Estrutural (Distrito Federal)

O maior lixão a céu aberto da América Latina, infelizmente fica no entorno do plano piloto de Brasília, vergonhosamente, a apenas 15km do palácio do planalto.

Lixão da Estrutural - DF
O famoso lixão da estrutural, já tinha ordem para ser encerrado em 2011. Em 2014, o Tribunal de Justiça (TJDFT) do Distrito Federal acatou o pedido do Ministério Público do DF (MPDFT) de multar em R$ 1 milhõa o Serviço de Limpeza Urbano (SLU) por não ter fechado o lugar nesta época. Em outro processo, o SLU também foi condenado a pagar multa de mais de R$ 9 milhões, e a empresa Valor Ambiental de R$ 4 milhões. Porém, o governo informou que o adiamento era devido aos atrasos nas obras do aterro sanitário, e com isso, não era havia outra forma de processar o lixo recolhido. Assim, o executivo também conseguiu adiar o pagamento das multas.

Inaugurado em janeiro deste ano, o aterro foi projeto para comportar 8,13 milhões de toneladas de rejeitos - materiais não reutilizáveis - e, com isso, ter vida útil de aproxidamente 13 anos. Hoje, o Lixão da Estrutural acumula 40 milhões de toneladas de detritos. O maciço - nome técnico para a parte central onde é disposto o lixo domiciliar - tem 55 metros de altura. 

Lixão da Estrutural - DF
Para realocar os catadores de lixo que tiram sustento do Lixão, serão construídos sete galpões. A previsão é que todos fiquem prontos em 18 meses, e enquanto isto, outros seis serão alugados para dar continuidade aos trabalhos. Depois da transferência de todos os funcionários, o Lixão receberá apenas resíduos da construção civil, o que não polui o meio ambiente, e nem gera condições de trabalho insalubres. Cada galpão deve custar cerca de R$ 5 milhões.

Considerações finais

Lixo doméstico proveniente da Alemanha
Em suma, o Brasil ainda deposita grande parte de seu lixo em lixões, ou seja, em locais extremamente inadequados. Esperamos que as políticas sejam de fato implantadas de forma efetiva para acabar com esta situação vergonhosa que nos encontramos.

Só para concluir, mais de uma vez o Brasil recebeu contêineres de lixo doméstico proveniente de países europeus que possuem dificuldade espacial em descartar seus lixos. Uma vergonha para nosso país que por não se respeitar, potencializa o desrespeito por parte de outros.

Jonathan Kreutzfeld

CLÁSSICO CURTA - ILHA DAS FLORES

Fonte:






Assuntos mais cobrados de Geografia no Enem

Se liga pessoal! A prova do Enem todo mundo sabe que é diferente, a maior parte da Geografia é encontrada na prova de Ciências Humanas embora o tema seja também facilmente abordado na prova de Naturais. Fica tudo misturado e dá um desespero na hora de estudar para uma prova tão completa num contexto de assunto geográfico que pode ser tão abrangente.

Isso sem contar as atualidades que sempre cercam o contexto de cada tema que é abordado.

Pensando nisso, esse breve levantamento apresenta os conteúdos que mais costumam cair na prova!


MAIS IMPORTANTES PELA ORDEM

H30 – Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes escalas.

H6 – Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos.

H16 – Identificar registros sobre o papel das técnicas e tecnologias na organização do trabalho e/ou da vida social.

H27 – Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e(ou) geográficos.

H28 – Relacionar o uso das tecnologias com os impactos sócio-ambientais em diferentes contextos histórico-geográficos.

H18 – Analisar diferentes processos de produção ou circulação de riquezas e suas implicações sócio-espaciais.

H19 – Reconhecer as transformações técnicas e tecnológicas que determinam as várias formas de uso e apropriação dos espaços rural e urbano.

H8 – Analisar a ação dos estados nacionais no que se refere à dinâmica dos fluxos populacionais e no enfrentamento de problemas de ordem econômico-social.

H17 – Analisar fatores que explicam o impacto das novas tecnologias no processo de territorialização da produção.

H26 – Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem.

H7 – Identificar os significados histórico-geográficos das relações de poder entre as nações.


H19 – Reconhecer as transformações técnicas e tecnológicas que determinam as várias formas de uso e apropriação dos espaços rural e urbano.

Se você não sabe por onde começar ou como solucionar dúvidas, tente assistir as aulas do portal Hora do Enem ou pelo canal NBR, ou claro, se puder, peça ajuda para seu professor!

Jonathan Kreutzfeld

Fonte:


terça-feira, 26 de setembro de 2017

Redação nota 1000 – Desigualdade social no Brasil

Este ano teremos uma série de postagens de redações que atingiram nota máxima, considerando os critérios do Enem e ou de importantes vestibulares do Brasil.

A redação a seguir foi proposta e corrigida pelo professor Antônio Carlos Rocha do terceiro ano do Ensino Médio da Escola Barão.

Desigualdade social no Brasil

Por Filipe Eduardo Skorek Batista

A desigualdade entre as camadas sociais está presente no contexto brasileiro desde o seu descobrimento. A exploração dos escravos no período colonial e a situação de pobreza extrema presente tanto nas grandes cidades quanto no interior são exemplos, um histórico e outro atual, que explicitam o fato de que o Brasil é um dos países mais desiguais do mundo, cenário que precisa ser mudado.

Desigualdade - Paraisópolis - Morumbi
Segundo uma matéria do jornal “O Globo”, o Brasil é o décimo país mais desigual do planeta. Essa situação é gerada e agravada pela má distribuição de renda e pela baixa oferta de empregos à população, que afeta, além da qualidade de vida do cidadão, a situação econômica do país, que remedia a problemática através de políticas assistenciais que não se mostram eficazes contra a disparidade econômica nacional.

Além disso, a má gestão de impostos e a não aplicação do dinheiro público em medidas que diminuiriam eficazmente a desigualdade social e auxiliariam a economia, como o incentivo ao microempreendedorismo e a reforma agrária, agrava o cenário. Isso faz com que recursos importantes sejam desperdiçados com ações fúteis do governo que acabam servindo como pano de fundo para atos corruptos e desvios de verba constantemente.

Portanto, para que haja uma eficaz redução da desigualdade social no Brasil, deve-se repensar e aumentar os investimentos nessa área, através de um maior incentivo ao empreendedor e à reforma no campo, gerando, consequentemente, empregos e uma diminuição efetiva na disparidade social. Ademais, é necessário aprimorar a qualidade da educação pública, além de ampliar o acesso à mesma, para que todos os cidadãos tenham as mesmas oportunidades, visando tornar a sociedade mais igual e, principalmente, mais justa.