sexta-feira, 8 de junho de 2018

Redação Nota 1000 – Altruísmo no mundo Contemporâneo


Série de postagens de redações que atingiram nota máxima, considerando os critérios do Enem e ou de importantes vestibulares do Brasil.

A redação a seguir foi proposta e corrigida pelo professor Nardy Bechtold Júnior do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio Cônsul Carlos Renaux de Brusque.

Tema: “Existe espaço para o altruísmo no mundo contemporâneo?”

Por Vitória Suavi Bernardo
  
Altruísta é um adjetivo que define um indivíduo que pratica o altruísmo, ou seja, que se dedica aos outros. O altruísmo também é visto como sinônimo de filantropia e solidariedade.

Existe espaço para o altruísmo no mundo contemporâneo?
     
Augusto Comte define a tendência natural humana de manter um comportamento favorável ao próximo como altruísmo. Como mostra Hobbes em sua tese, o homem nasce mal e faz questão de ser, nas palavras do filósofo, "O lobo do próprio homem". Tal pensamento deve ser usado como forma de reflexão para a falta de humanitarismo que existe na esfera social atual. Nesse viés, dois aspectos fazem-se relevantes: o resultado de um passado de construções científicas e a modelação a partir da moral cristã.

Em primeiro lugar, a teoria hobbesiana adota a ideia de que impulsos egoístas são inatos, o que é fato. Todas as espécies do reino Animalia possuem instintos naturais de competição, e isso está provado pela Teoria Darwiniana da evolução. A sobrevivência é um patamar ocupado pelos mais aptos, o que favorece um animal em detrimento do outro. A mesma lógica se aplica ao modelo capitalista, no qual forças sociais nas relações incitam a competitividade entre os empregados para que se destaquem no mercado, fator que cria o aumento do individualismo. As raízes desse problema têm, na verdade, uma construção natural que, mesmo o ser humano sendo racional e cada vez mais inteligente, é agravada todos os dias.

Em contrapartida, é visível o esforço de grupos que ajudam entidades carentes ou que não tem voz. Essas exceções são frutos da ética e moralidade cristã, que aliena as virtudes humanas de acordo com o princípio da boa conduta. As Igrejas, ao invés de relativizar ações, pautou todas elas e criou uma trilha para o céu. Foi promovida a caridade, ao oposto da luta pela igualdade de direitos. Apesar da domesticação das vontades do ser, as instituições religiosas são responsáveis por um molde social e moral praticamente impermeável atualmente, que realiza uma higienização espiritual, através de amor ao próximo. A partir disso, o convívio social se tornou mais sólido e inclusivo.

Por fim, conclui-se que existem pessoas altruístas, mesmo que não sejam maioria, mas que se precisa de mais. Para resolver o impasse, medidas são necessárias. O Ministério da Educação deve propor políticas públicas que promovam propagandas e trabalhos em grupo, a fim de que jovens se tornem mais unidos e empáticos. A família, por sua vez, precisa ensinar as crianças que existe espaço para todas as pessoas, por meio de diálogos e das próprias regras familiares, mesmo que desvinculadas de instituições. Como citou Machado de Assis: "O menino é o pai do homem", ou seja, uma criança esclarecida resultará em um adulto conscientizado.
____________

Uma boa dica sobre altruísmo é procurar entidades próximas já organizadas e contribuir a partir delas ou se você por exemplo quer contribuir financeiramente, pode fazer também em instituições internacionais como o MSF. Veja no link abaixo como fazer para contribuir. Mas nunca esqueça que as pessoas e entidades mais próximas também podem precisar de sua ajuda financeira!

terça-feira, 5 de junho de 2018

Sugestões: Filmes e Séries

Olá!

Entre guerras e situações muito diferenciadas, tanto na cultura quanto nas paisagens, ficam aqui minhas dicas Hollywoodianas ou não para entender um pouco mais sobre alguns temas.



BELAS PAISAGENS DO MUNDO


Doutor Jivago (1965): Premiadíssimo, este clássico romance se passa nos Montes Urais na Rússia, um lugar digamos que pouco filmado em filmes conhecidos. Conta com uma trilha sonora fantástica de Maurrice Jarre, com destaque para o "Tema de Lara".


Doutor Jivago: Lara's Theme

- Austrália (2008): É um romance enorme que ajuda a compreender um pouco a imensidão da Austrália fora do deserto e de suas conhecidas cidades.

- Sete Anos no Tibet (1997): Mais um enorme filme sobre paisagens maravilhosas e noções de cultura bastante distintas.

QUESTÕES SOCIAIS ATUAIS

- Mad World (2016): Eu não sabia em qual categoria que criei deveria colocar. Mas o filme é filmado em Hong Kong, país extremamente povoado e com moradias minúsculas, e este é o motivo de ter colocado o mesmo na lista. Não é um filme fantástico, mas é interessante.

- The Crown (2017): Série que conta a história da Rainha Elizabeth. Coloquei aqui em questões sociais atuais pois considero que a monarquia e a discussão sobre o funcionamento de um país (parlamentarista, presidencialista..) ajuda muito a refletir sobre o que queremos para o próprio Brasil. Não que tenhamos que querer a monarquia por aqui. Mas quem assistir vai entender e perceber que Elizabeth não vive de saber sobre cachorros e cavalos.

- Chi-Raq (2015): Filme polêmico e super atual, leva a reflexão sobre a violência real na grande metrópole estadunidense e compara com guerras. Com texto envolvendo temas como pobreza, racismo, feminismo, sexismo e armas.

- Black Mirror: Série que embora seja considerada inadequada para menores, é bastante relevante para jovens que precisam refletir sobre a lida diária com a tecnologia e os valores da sociedade.

- 3%: Brasileira, série muito interessante que leva a reflexão sobre a "luta de classes", "pessoas de bem"... A produção não é das melhores, mas o roteiro bastante original e com um bom recado.

- Expresso do Amanhã (2013): Excelente filme que vai na mesma linha da série 3%. Conta a história de pessoas que vivem num trem e a guerra de classes é muito bem caracterizada.

- As Sufragistas (2015): A história das mulheres que enfrentaram seus limites na luta por igualdade e pelo direito de voto. Elas resistiam à opressão de forma passiva, mas, a partir do momento em que começaram a sofrer uma crescente agressão da polícia, decidiram se rebelar publicamente.

- O Grande Ditador (1940): Classiquíssimo!! Sátira do nazismo feita por Charlie Chaplin em plena Segunda Guerra Mundial. É simplesmente fantástico, completo este filme, por adorar clássicos, não sei como levei tanto tempo pra chegar nele. Tem um discurso extremamente atual no final do filme, impressionante e de arrepiar!

Discurso Charlie Chaplin - O grande ditador

VIETNÃ

- Apocalipse Now (1979): Mostra quão absurdo e confuso foi o conflito do Vietnã.

- Platoon (1986): Clássico de "frontline" também do Vietnã.

- Bom dia Vietnã (1987): Este mostra o "clima de paz" que se tinha no Vietnã.

- Rambo (1980): 
As sequências de Rambo foram produzidas para afirmar a ideologia capitalista e a força bélica norte-americana. Somente um soldado lutaria e venceria todos os vietcongues. Nos filmes fica clara a proposta da construção de uma representação dos comunistas como violentos, desumanos; enquanto o Rambo, ao contrário, representaria a coragem, o valor humano ético e moral, o salvador da humanidade.

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

- O Destino de uma Nação (2017): Excelente filme sobre a difícil decisão tomada por Churchill no início da guerra. Decisão que por pouco não deixou a Inglaterra do lado nazista. Penso que quem tem interesse no Churchill, vai gostar bastante do filme que leva o nome dele e da série The Crown mencionada mais à frente, embora as propostas sejam completamente distintas.

- Até o Último Homem (2016): Baseado em fatos reais, mostra a dura batalha de um jovem e religioso homem para ir para a guerra sem precisar utilizar uma arma em punho.

- O Último Batalhão (2001): Sobre a 2a Guerra Mundial, filme que mostra as "glórias" de batalhões que foram formados por civis, advogados, professores, operários... e que cumpriram missões importantes nesta guerra.

- Band of Brothers (2001): Série da HBO sobre a incursão americana na Alemanha, são 10 capítulos, boas aulas de história desta guerra.

- A nação do medo (Fatherland) (1994): Único filme que eu conheço que tenta mostrar como seria a Alemanha se ela tivesse vencido a guerra e Hitler sobrevivido. Vale a pena ver, é diferente e não é um filme nazista não. Este eu achei no youtube em partes é bem raro este filme.

- The Pacific (2010): Série sobre a 2a Guerra Mundial lá do lado oriental, mostra a grande área que era de domínio japonês e como os EUA e aliados fizeram para reprimir o avanço japonês no pacífico.

- Lista de Schindler (1993): Filme que todas as pessoas normais deveriam assistir pra tentar entender o que pode ter sido o nazismo em si.

- O menino do pijama listrado (2008): Se você hipoteticamente assistir tudo o que está nesta lista e for um pouco emotivo, vai passar mais umas 2 horas chorando neste filme. Sobre 2a Guerra Mundial também.

- Raça (2016): Filme sobre a história de Jesse Owen o negro que foi em 1936 enfrentar os preconceitos do seu próprio país e da Alemanha nazista.

- Leningrado (2007): De origem russa e sem grandes produção, este filme retrata o cerco à esta cidade Russa durante a 2a Guerra Mundial que durou mais de dois anos. Mostra do que o ser humano é capaz quando está com muita fome.

- Império do Sol (1987): Mostra através da história de um menino de origem britânica, a invasão dos japoneses dentro território chinês que por sua vez ainda tinha grande influência britânica naquela época.

ORIENTE MÉDIO

- Guerra ao terror (2008): Filme que mostra as dificuldades em combater inimigos sem medo de morrer. Sobre a Guerra recente contra o Iraque. Acho que é bem americanizado, mas até que eu gostei.

- 13 Horas: Os Soldados Secretos de Benghazi (2016): Filme sobre um grupo de soldados que tenta defender uma base na Líbia durante a visita de um embaixador americano ao país num aniversário do 11 de setembro.

- O Caçador de Pipas (2007): O filme é uma adaptação de um romance que mostra uma história triste que tem como plano de fundo o Afeganistão.

ÁFRICA

- Capitão Philips (2013): Filme sobre o drama das vítimas e dos soldados da pirataria na Somália.

- Redenção (2011): Se passa onde atualmente é a divisa de Sudão e Sudão do Sul. Mostra uma história de um americano que resolveu mudar de vida para ajudar os mais necessitados.

- Lágrimas do Sol: (2003): Mais um filme infelizmente com história triste de conflitos étnicos vivenciados na Nigéria, o mais populoso país africano.

- Diamante de Sangue (2006): Sobre como é a vida de quem vive escravizado em garimpos de diamante em Serra Leoa. Faz uma crítica ao consumo deste mineral.

- O Último rei da Escócia (2006): Um médico estrangeiro chega no país bem intencionado, quer ajudar o país e acaba se envolvendo na política local.

- Senhor das Armas (2005): Um filme que se passa na Guerra Fria e faz entender como tantas armas foram parar nas mãos de guerrilhas e exércitos de países muito pobres.

TEMAS VARIADOS

- Gangues de Nova York (2002): Filme fantástico sobre os EUA do século retrasado. Faz quem assiste entender um pouco da origem da prepotência e arrogância típicas de parcela da população. Muito interessante pra entender de onde vem pessoas como o atual presidente Donald Trump.

- Interestelar (2014): É uma ficção sim! Mas tem uma sacada muito bacana sobre o esgotamento de nossos recursos naturais na Terra. É o meu filme preferido.

- A Cabana (2017): Um filme lindo para refletir e buscar o que há de melhor nos nossos sentimentos. Um filme sobre a fé.

- Narcos (2015): Série sobre Pablo Escobar, retratando a história de ascensão dele de um criminoso comum para um dos homens mais perigosos, procurados e ricos do mundo.


Episódios de Globo Repórter: Meus preferidos foram no Vietnã e Myanmar.

Joathan Kreutzfeld

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Ideologia e Política: Legislativo x Executivo x Judiciário

Esta é uma série de postagens de autoria dos alunos do Ensino Médio do Centro Educacional Timbó S/A (Cetisa) que visam contribuir com conceitos simples de cunho ideológico. As postagens são parte de textos apresentados em seminário realizado com os mesmos na disciplina de Geografia.

O objetivo do trabalho jamais foi o de definir algum conceito como absoluto, único e verdadeiro e sim debater o entendimento que se faz sobre os mesmos.
Jonathan Kreutzfeld

Organizadores: Henrique Simioni e Kaue Cadene

Alunos: Hanna Stolf, Matheus Benkendorf, Matheus Buzzi, Ruan Piske e Thiago Bueno Moraes


Função do Legislativo:

-O poder legislativo é responsável por elaborar as leis que serão aplicadas na sociedade.

-A função do poder legislativo é legislar e fiscalizar o poder executivo, ele também pode julgar casos especiais, porem o julgamento desse poder é diferente do feito por juízes no poder judiciário, podendo aplicar apenas punições políticas.

Órgãos de esfera federal do poder legislativo e seus respectivos atuantes:

-O congresso nacional é a sede do poder legislativo brasileiro de esfera federa. É um órgão composto pela Câmara dos Deputados, com 513 parlamentares em atividade, e pelo Senado Federal com 81 representantes. As principais funções e decisões legislativas do país são realizadas lá. Todos os seus membros são selecionados por eleição direta, realizada pelo povo. A existência das duas câmaras é necessária em países com organização política federalista para que exista um equilíbrio das decisões, evitando o desequilíbrio entre os estados, causado por suas eventuais representações políticas relativas.

Dentro do congresso nacional está o senado federal, o Senado brasileiro é composto por 81 membros, sendo três de cada unidade da federação. O mandato de um Senador dura oito anos e a cada quatro anos, elege-se um ou dois Senadores por estado alternadamente, e diferentemente do cargo presidencial, existem limites para reeleições.  Um Senador elabora projetos de lei, debate e revisa os projetos provenientes da Câmara dos Deputados e além disso, fiscaliza a ação do Executivo.  Ele leva consigo dois suplentes de seu estado que ocupam o seu lugar em caso de morte, renúncia ou deposição, O salário de cada Senador gira em torno de 16 mil reais e eles possuem direito a benefícios como auxílio moradia, cotas para uso aéreo e remuneração para gastos com escritórios e funcionários.

A Câmara dos Deputados cria leis sobre temas de interesse do povo e fiscaliza o uso do dinheiro público. Quando uma pessoa vota em um candidato a deputado, esse voto vai para o candidato e para o partido. O quociente eleitoral determina quantos deputados cada partido terá. Assim, o partido escolhe os deputados mais votados pelo povo, as eleições acontecem a cada 4 anos.  Todos os deputados precisam ter a idade mínima de 21 anos. Cada deputado federal ganha um salário mensal de 33,7 mil reais (dado de 2015).

Emenda parlamentar:

Todos os anos, o Poder Executivo define o orçamento para o exercício do ano seguinte. Depois que estes orçamentos são definidos é o momento de realizar as emendas parlamentares, que representam a ocasião na qual os representantes do Poder Legislativo tentam, de certa forma ‘reservar’ uma parcela daquele orçamento para a sua área de atuação.

As emendas parlamentares são feitas por membros do parlamento, que são os representantes do Poder Legislativo no Brasil. A proposta é que os parlamentares ‘emendem’ a proposta orçamentária para o ano seguinte, alterando de acordo com as necessidades dos municípios e regiões.

Órgãos de esfera estadual do poder legislativo e seus respectivos atuantes:

Ao contrário do poder federal, o poder legislativo estadual se organiza em apenas uma câmara. É a chamada Assembleia Legislativa. Porque no caso dos estados não existe a necessidade de criar um Senado.
A Assembleia Legislativa de Santa Catarina é o órgão de representação do Poder Legislativo, através dos deputados estaduais do estado de Santa Catarina.

Assembleias compõem o Poder Legislativo no nível estadual, logo elas possuem as funções que a Câmara e o Senado possuem no nível federal. Aqui estão as três funções que resumem o trabalho de uma Assembleia Legislativa:

· Representar o povo;
· Legislar (criar, modificar, extinguir leis);
· Fiscalizar o Poder Executivo e o uso dos recursos públicos.

Portanto, os deputados estaduais possuem rotina de trabalho bem semelhante à dos deputados federais. A única diferença é que o horizonte dos deputados estaduais é mais estreito que o dos. Os deputados estaduais criam projetos de leis estaduais, discutem e votam projetos de seus colegas e também ficam de olho nas ações do governador, para saber se ele tem cumprido seu papel e se o poder público tem aplicado adequadamente os recursos públicos, sempre observando a lei.

Órgãos de esfera municipal do poder legislativo e seus respectivos atuantes:

O Poder Legislativo no município é realizado através das Câmaras Municipais cujos membros são os vereadores e tem funções legislativas, administrativas como apresentar emendas aos projetos de lei, de aprovar ou rejeitar projetos, de aprovar ou rejeitar veto do prefeito e apresentar moções, e funções fiscalizadoras como fiscalizar e controlar os atos do Poder Executivo (Prefeito, Vice-prefeito e Secretários Municipais) e os atos de toda a administração municipal. A Câmara exerce essa função fiscalizadora mediante requerimento de informações sobre a administração.  As funções administrativas exercidas pela Câmara se destinam à organização dos seus serviços internos como composição da Mesa Diretora, constituição das Comissões, bancadas partidárias etc...

A Câmara a função de assessoramento, através da indicação, que é o instrumento legislativo pelo qual a Câmara sugere ao Prefeito medidas de interesse da administração pública como a adoção de programas sociais, construção de escolas, aberturas de estradas, limpeza pública, etc...

A Câmara Municipal exerce algumas funções parecidas com Poder Judiciário, quando processa e julga o prefeito e os vereadores envolvidos em crime de responsabilidade. A pena imposta a esses agentes políticos pode ser de até mesmo impeachment que é a perda do mandato.

Vereadores:


Os vereadores possuem mandato com duração de quatro anos com a reeleição ilimitada. A quantidade de vereadores em uma câmara é estabelecida entre o número mínimo de 9 e um máximo de 55 vereadores dependendo do número de habitantes da cidade, em Timbó, a câmara municipal é constituída por 11 vereadores. Para ser um vereador é necessário ter nacionalidade brasileira, estar filiado em algum partido político, ter idade mínima de 18 anos, possuir domicílio eleitoral no município pelo qual concorre ao cargo, dentre outros...

Alunos: Ayron Sipriany, Kaio Fávero, Lucas Duwe e Rafael Fainer

Função do Executivo:

O Brasil é dividido em 3 poderes: o legislativo encarregado de ordenar e criar as leis do país , o judiciário é responsável por julgar através das leis criadas pelo legislativo e pela constituição do país e o executivo é quem faz a parte de administração do país.

O Poder Executivo tem a função de governar o povo e administrar os interesses públicos, de acordo as leis previstas na Constituição Federal. No Brasil, País que adota o regime presidencialista, o líder do Poder Executivo é o Presidente da República, que tem o papel de chefe de Estado e de governo. O Presidente é eleito democraticamente para mandato com duração de quatro anos e possibilidade de uma reeleição consecutiva para igual período.

Cabe ao Poder Executivo executar as leis elaboradas pelo Poder Legislativo, mas o Presidente da República também pode iniciar esse processo. Em caso de relevância e urgência, adota medidas provisórias e propõe emendas à Constituição, projetos de leis complementares e ordinárias e leis delegadas. O Presidente da República também tem o direito de rejeitar ou sancionar matérias e ainda, decretar intervenção federal nos Estados, o estado de defesa e o estado de sítio; manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos; celebrar tratados, convenções e atos internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional. Compete ao cargo a concessão de indulto e a comutação de penas, ou seja, substituir uma pena mais grave, imposta ao réu, por outra mais branda.

Poder Executivo Estadual

O chefe do Poder Executivo estadual é o governador. Ele é a maior autoridade do estado e é o responsável pela administração. É auxiliado pelo vice-governador e pelas Secretarias de Estado. Assim como acontece com o Poder Executivo federal, é função do Executivo estadual pôr em prática o que prevê a Constituição Federal, as leis e a Constituição Estadual.

Poder Executivo Municipal

O chefe do Poder Executivo municipal é o prefeito, auxiliado pelo vice-prefeito e pelas Secretarias Municipais. Assim como nas outras esferas de governo, é função do Poder Executivo municipal administrar em colocar em prática as medidas e políticas de governo previstas nas leis. Cada município, além de observar o que é previsto na Constituição Federal e na Estadual, deve governar conforme a Lei Orgânica Municipal (que é a lei maior do município). As leis municipais são elaboradas pelo Executivo municipal, na Câmara de vereadores.


Alunos: Aline Lais Nones, Aline Thaise Zermiani, Luiza Silveira do Vale e Monique Retke Círico

Função do Judiciário:

O Poder Judiciário é um dos três poderes do Estado moderno na divisão preconizada por Montesquieu em sua teoria da separação dos poderes. O Poder Judiciário do Brasil é o agrupamento dos órgãos públicos com os quais ocorre a atribuição constitucional brasileira da função jurisdicional.

Ele é formado por cinco órgãos, a saber: Supremo Tribunal Federal (STF), Superior Tribunal de Justiça (STJ), sendo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) o responsável pelo controle da atuação administrativa e financeira dos tribunais, tribunais regionais federais e juízes federais, tribunais e juízes militares, e tribunais e juízes dos estados, do distrito federal e dos territórios. Assim o STF como os tribunais superiores — quanto o Tribunal Superior do Trabalho (TST), o Tribunal Superior Eleitoral(TSE) e o Superior Tribunal Militar (STM) — estão sediados em Brasília, capital do país, e jurisdicionam o Brasil inteiro. 11 ministros formam o STF, cuja competência principal é guardar a constituição. 33 ministros formam, pelo menos, o STJ.

Função:

A principal função do Poder Judiciário é defender os direitos de cada cidadão, promovendo a justiça e resolvendo os prováveis conflitos que possam surgir na sociedade, através da investigação, apuração, julgamento e punição. O STF tem entre suas principais atribuições a guarda da Constituição e o julgamento de ações penais contra autoridades com prerrogativa de foro, como parlamentares. O CNJ, por sua vez, responde pelo planejamento estratégico de todo o Judiciário e pela fiscalização da conduta dos magistrados. O STJ é também responsável por uniformizar a interpretação da lei federal em todo o Brasil.

A Justiça Federal, como um todo, é competente para processar e julgar as questões que envolvem, como autoras ou rés, a União Federal, suas autarquias, fundações e empresas públicas federais, além de questões de interesse da Federação – por exemplo, disputa sobre direitos indígenas, crimes cometidos a bordo de aeronave ou navio e crimes de ingresso ou permanência irregular de estrangeiro.

O órgão que exerce o poder judiciário estadual é o Tribunal de Justiça, além das comarcas que agregam um pequeno número de municípios, além do município-sede, propriamente dito, uma vez que nenhuma cidade possui poder judiciário independente. Segundo as constituições federal e estaduais, somente a União e as unidades federativas devem possuir poder judiciário.

Ideologia e Política: Liberal x Conservador

Esta é uma série de postagens de autoria dos alunos do Ensino Médio do Centro Educacional Timbó S/A (Cetisa) que visam contribuir com conceitos simples de cunho ideológico. As postagens são parte de textos apresentados em seminário realizado com os mesmos na disciplina de Geografia.

O objetivo do trabalho jamais foi o de definir algum conceito como absoluto, único e verdadeiro e sim debater o entendimento que se faz sobre os mesmos.

Jonathan Kreutzfeld

Organizadores: Henrique Simioni e Kaue Cadene

Alunos: Alunos: Andre Felipe Reiter, Barbara Maas, Gabriel Rene Pegoretti e Luiza Lenzi

O que é ser liberal:

Entende-se por liberalismo a concepção de Estado em que este tem poderes e funções limitados. As correntes liberais, que defendem o liberalismo político, possuem diversas variações dependendo de seus precursores. Dentre os nomes mais conhecidos estão John Locke, Montesquieu, Rousseau e Adam Smith.

Surgiu durante o iluminismo, vindo de encontro ao espírito absolutista. Ao longo da história, os Estados Liberais foram surgindo como uma consequência do desgaste progressivo do poder absoluto do rei, enquanto o absolutismo decai, surgem correntes liberais, que acabam se juntando para instituir o Estado Liberal.

O liberalismo não significa necessariamente conservadorismo moral. O adjetivo liberal é associado à pessoa que tem ideias e uma atitude aberta ou tolerante, que pode incluir a defesa de liberdades civis e direitos humanos. Já o conservador seria aquele com um pensamento tradicional. Na política, o conservadorismo busca manter o sistema político existente, que seria oposto ao progressismo. 

Após a II Guerra Mundial, surgiram movimentos com tendências democráticas que trouxeram de volta o liberalismo, com o objetivo de reconstruí-lo no campo político e econômico.

Os seus princípios fundamentais são a transparência, os direitos individuais e civis e um governo consentido pelos governados, estabelecido por meio das eleições livres, geralmente um governo democrático, e a igualdade da lei perante todos os cidadãos.

Alunos: Caroline Bonin, Caio Oss-emer, Felipe Gustavo Tancon, Maria Julia Tafner, Lucas Curtarelli e Luiz Gabriel da Silva

O que é ser conservador:


“O conservador pensa na política como um meio de preservar a ordem, a justiça e a liberdade.” 

Russell Kirk (1918 – 1994), teórico político americano.

O conservadorismo é um pensamento político que defende a manutenção das instituições sociais tradicionais – como a família, a comunidade local e a religião -, além dos usos, costumes, tradições e convenções. Os principais valores do conservadorismo ocidental são a liberdade, política e econômica, e a ordem, social e moral.

Para o conservador, as tradições são a base de qualquer atuação política. Fornecendo um início seguro que deve ser conservado, porém que deve ser discutido e melhorado. O conservadorismo não acredita na bondade natural do homem, portanto acredita que os hábitos e as tradições permitem que a sociedade funcione, de modo que exigem valores morais de toda a população.

O conservadorismo não é um conjunto de ideias fixas e definidas, afinal os valores conservadores variam de acordo com o país e com a época. Conservadores chineses e conservadores brasileiros podem defender ideias diferentes, por exemplo, porém ambos são conservadores por estarem de acordo com as tradições de suas sociedades.

A diversidade é muito valorizada no conservadorismo, logo a igualdade social não é considerada um objetivo da política conservadora. Entendem que a igualdade política-jurídica (todos são iguais perante a lei) é suficiente na sociedade. E que a desigualdade é natural, consequência inevitável das diferenças entre os seres humanos.

Os conservadores se opõem a movimentos revolucionários e a projetos que idealizam uma sociedade. Porém, não são contra mudanças, apenas defendem que estas devem ser feitas de forma cautelosa e gradual, sempre preferindo manter e melhorar as instituições já conhecidas, tradicionais.

O conservadorismo defende o individualismo na esfera econômica e a defesa da propriedade privada, porque, para eles, a liberdade está ligada a independência financeira. Entretanto, a defesa de uma economia de livre mercado não é assunto de consenso entre conservadores, pois o conservadorismo tende a preservar a identidade nacional. De forma geral, conservadores nacionais prefere políticas econômicas desenvolvimentistas, nacionalistas e protecionistas.

Sobre a política brasileira, em 2014 foi eleito o congresso mais conservador em cinco décadas. E a sociedade também atingiu um ápice de conservadorismo tendo em vista que em pesquisa realizada em 2016 pelo Ibope 54% dos brasileiros têm posições tradicionais em relação a questões como legalização do aborto, casamento entre pessoas do mesmo sexo, pena de morte e redução da maioridade penal.

Na atualidade, uma parcela da população brasileira considera o polêmico Jair Bolsonaro um representante do conservadorismo brasileiro, entretanto, muitos jornalistas defendem que este, e muitos outros políticos brasileiros, proferem discursos vulgares que não respeitam o verdadeiro conservadorismo, e desconhecem os verdadeiros princípios desse pensamento, que é amparado por uma base filosófica.

Ideologia e Política: Esquerda x Direita


Esta é uma série de postagens de autoria dos alunos do Ensino Médio do Centro Educacional Timbó S/A (Cetisa) que visam contribuir com conceitos simples de cunho ideológico. As postagens são parte de textos apresentados em seminário realizado com os mesmos na disciplina de Geografia.

O objetivo do trabalho jamais foi o de definir algum conceito como absoluto, único e verdadeiro e sim debater o entendimento que se faz sobre os mesmos.

Jonathan Kreutzfeld


Organizadores: Henrique Simioni e Kaue Cadene

Alunos: Bryan Zanella, Giulia Sophia Doopiate, Jorge L. Marquardt Jr, Larissa L. R. Kopsh, Matheus Campestrini e Nicolle L. Minatti.

O que é ser esquerda:

Segundo a revista “Veja”, esquerda é o termo usado para denominar um posicionamento político, partidário e ideológico, que favorece o controle estatal da economia e a interferência ativa do governo em todos os setores da vida social, colocando o ideal igualitário acima de outras considerações de ordem moral, cultural, patriótica ou religiosa.

A política de esquerda é a favor do controle feito do Estado, através dos seus governos e defende que é a solução para que exista igualdade entre a população.

De acordo com essa ideia, o Estado deve ser o principal controlador do funcionamento de vários setores da sociedade, sendo responsável por proporcionar educação, saúde, trabalho e outros direitos básicos aos cidadãos.

A esquerda defende, principalmente, as classes sociais menos favorecidas na sociedade, ou seja, aquelas que necessitam de mais atenção e serviços públicos, que carecem de diversos recursos.

Os grupos de esquerda também são conhecidos por apoiarem sistemas de reformas sociais, como o socialismo e o comunismo.

Muitas vezes o termo esquerda é utilizado para se referir a um conjunto partidário que se opõe ao partido político que está no poder. Nesse sentido, direita pode ser o nome dado para grupos partidários que apoiam o grupo político que está no governo.

No Brasil, as lutas de ideologias entre os grupos de esquerda e de direita se intensificaram muito a partir do período da Ditadura Militar.
Nesse período as pessoas que apoiavam a ditadura e o regime militar eram consideradas de direita, enquanto as pessoas que defendiam o fim do regime ou a implantação do socialismo, eram classificados como de esquerda.

Há também a extrema esquerda, que apoia a submissão integral da sociedade a uma ideologia revolucionária personificada num Partido-Estado, a extinção completa dos valores morais e religiosos tradicionais, o igualitarismo forçado por meio da intervenção fiscal, judiciária e policial.

A extrema esquerda acredita que os sistemas desiguais devem ser abolidos pela revolução, a fim de estabelecer sociedades igualitárias, enquanto a centro-esquerda busca alcançar o igualitarismo dentro do próprio sistema democrático.

A extrema esquerda só se distingue da esquerda por uma questão de grau, pois ambas visam o mesmo objetivo.

Alunos: Ana Beatriz Pimentel Kretzschmar, Beatriz Grubert, Isabela Grubert, Luana Giovanella, Mariana Brito Gonçalves e Mikael Voigt

O que é ser direita:

Direita é a palavra utilizada para representar um posicionamento político, partidário ou ideológico. Nas Ciências Políticas a política de direita é marcada por características mais conservadoras em relação a aspectos sociais e de governo.


Esse termo surgiu durante a Revolução Francesa, no final do século XVIII. O termo direita era utilizado para se referir aos parlamentares que sentavam-se ao lado direito do presidente da Assembleia Nacional. Esses políticos, que defendiam ideais mais conservadores e tradicionalistas, debatiam com o grupo que sentava-se à esquerda do rei.

Pode se distinguir a direita da esquerda por meio do papel que o Estado deve exercer sobre a sociedade. Para a esquerda a redução da pobreza e a representatividade dos direitos de cada um ocorrem através da maior participação do Estado na vida social. Porém, para a direita é necessário a redução estatal como maneira de tirar as pessoas da pobreza, respeitando a liberdade individual dentro das regras estabelecidas pela sociedade, colocando o patriotismo e os valores religiosos e culturais tradicionais acima de quaisquer projetos de reforma da sociedade.

A direita compreende que a concentração de poderes na mão do Estado só aumentaria a pobreza e as injustiças. Haja vista, que o homem utilizaria o poder estatal em busca da resolução dos seus próprios interesses. Pode-se citar, o livro “A revolução dos bichos” como exemplo, já que retrata que, aqueles que antes lutavam contra a exploração dos mais ricos, ao conquistar o poder utilizam a máquina estatal ao seu favor e se distanciam dos mais pobres. Na prática, Cuba é um exemplo, visto que Fidel Castro desfrutava de um patrimônio bilionário e a sociedade civil vivia - e ainda vive - a pobreza e sem liberdade para acessar a Internet, viajar para fora do país ou criticar o governo.

Os regimes socialistas produziram miséria e mais de 100 milhões de mortes pelo mundo, ao contrário de regimes capitalistas, em que pessoas tem saído da pobreza, desde que a Revolução Industrial começou. Obviamente, a direita constata que ainda há muitas pessoas na miséria, entretanto acredita que a melhor maneira de tirar a população de pobreza é estimular a economia de mercado.

Todavia, é errôneo dizer que uma pessoa de direita não se sensibiliza com os mais pobres, pois em alguns casos esta defende ajudas assistencialistas, como é o caso do programa brasileiro Bolsa Família, que foi criado por Ricardo Paes de Barros, economista de direita, e colocado em prática por um partido de esquerda.

Portanto, a direita apoia a minimização do poder estatal sobre o cidadão e o livre mercado como forma de redução da pobreza, diminuição da corrupção e garantia dos direitos individuais liberais. Visto que, para a direita a meritocracia é essencial para tirar pessoas da miséria, uma vez que a premiação do mérito incentiva o ser humano a produzir riquezas para si, que consequentemente geram benefícios para toda a sociedade. Como no caso de Steve Jobs, que ficou milionário vendendo Apple, pensando primeiramente em satisfazer os seus objetivos, todavia em consequência favoreceu milhares de pessoas direta e indiretamente, devido a venda de seus produtos e geração de empregos em diversos setores.

Um outro erro é utilizar “direita” e “extrema direita” como se fossem sinônimos, já que existe uma diferença de essência entre as duas. Enquanto a direita busca liberdade pela redução da participação do estado na sociedade, a extrema direita é contra a liberdade individual e defende um estado totalitário para a organização da sociedade.

Dessa forma, a direita acredita que a todos deve ser dada a oportunidade para ter mais, entretanto acha que se os donos das empresas tiverem mais condições e mais possibilidades de fazerem crescer o seu negócio, vão poder pagar mais e dar emprego a mais pessoas. Consequentemente, se pagarem menos impostos, terão dinheiro para poupar ou consumir, e as famílias poderão pagar serviços, como Saúde, que para eles devem ser privatizados. E acham que o melhor para todos é que a sociedade mude pouco, por isso são apelidados de conservadores, já que são contra mudanças que ponham em causa os valores mais tradicionais ligados à família ou à religião.