segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Incidência de assuntos de Geografia no Vestibular da UFSC (2010-2015)

Neste estudo de incidências, analisei na realidade os temas que aparecem em questões da prova. Por exemplo, uma questão sobre o Brasil onde o estudante precisa compreender a atividade econômica de cada região do país para responder algo sobre recursos hidrográficos, vai ter um ponto anotado em cada assunto. Por este motivo temos mais ocorrências do que questões em si. O mesmo acontece com questões de atualidades que podem falar desde Blocos Econômicos até sobre terremotos em uma só questão!

VEJA TAMBÉM:




GRÁFICO SOBRE A INCIDÊNCIA DE TEMAS / ASSUNTOS DE GEOGRAFIA
UFSC (2010-2015)


Então o que deve ser mais estudado afinal?

A prova da UFSC é em geral bastante complexa e aborda em todos os anos muitos conteúdos, mas é possível identificar um foco em conflitos internacionais, blocos econômicos, economia brasileira, vegetação e Santa Catarina.

Geopolítica: Tudo que diz respeito ao relacionamento de países ou laços econômicos é muito importante na prova da UFSC! Notei que quase todas as provas cobravam conhecimentos sobre o continente africano. Para este ano, neste item acredito que teremos questões sobre as migrações de africanos e sírios para a Europa.

Espaço Rural: Pouco cobrado, mas quando foi era mais relacionado com os impactos ambientais. Apareceu também em questões sobre êxodo rural e participação na economia brasileira.

Questões Ambientais: Embora este item eu criei para a incidência do assunto conferências e acordos sobre o clima, sempre que aparecia questões sobre El Niño, enchentes ou deslizamentos eu acabei pontuando também.

Globalização: Neste item, em geral questões sobre as revoluções industriais e como elas nos levaram à evolução tecnológica dos meios de comunicação.

Espaço Urbano: Bastante sobre rede urbana brasileira e catarinense, os conceitos e os problemas socioambientais também apareceram.

Atmosfera: Bastante conceitual, e também de identificação de climas no Brasil e no Mundo.

Hidrografia: Em questões sobre economia ou mesmo sobre vegetações do Brasil, apareceu bastante a correlação com as bacias hidrográficas. Em geral sobre as bacias, pouco sobre conceitos.

População: Sobre a população, devemos esperar coisas sobre migrações e da parte conceitual, tabelas ou pirâmides etárias para interpretar as condições de algum país.

Energia: Em geral sobre a produção de petróleo no Brasil e no mundo. Fora isso uma ou outra sobre hidrelétricas também.

Vegetação: Saber onde ficam os domínios vegetais ou biomas brasileiros é bem importante. Quase sempre a vegetação é cobrada contextualizada com a economia, hidrografia ou clima de algum lugar.

Santa Catarina: Todas as provas tinham questões completas sobre o assunto e as vezes ainda aparecia mais alguma coisa em assertivas de questões sobre outros assuntos. A maioria tinha mapa do estado e cobrava de forma bem abrangente dentro do tema representado escolhido.

Brasil Economia Regional: Neste item eu pontuei quando aparecia sobre governos do Brasil, divisão regional e claro a caracterização econômica, em geral essas questões tinham tabelas ou mapas e solicitavam análises regionais e comparações entre as mesmas.

Geologia: Terremotos, vulcanismo, erosão de solo e divisão de relevo brasileiro são os assuntos de maior incidência.

Cartografia: Nenhuma questão.

Movimentos da Terra: Fusos horários brasileiros, noções de coordenadas geográficas e consequências da translação ou rotação.

É isso aí pessoal, espero ter ajudado a nortear o estudo de vocês!

Jonathan Kreutzfeld

TABELA DE INCIDÊNCIAS




Mesopotâmia: Império dos Caldeus

(Jardins Suspensos da Babilônia)

Caroline Lais Bonin, Julia Giotti Santos, Luana Giovanella. Orientador: Jader Rene Cipriani.

Trabalho apresentado na Mostra Científico Cultural do Cnetro Educacional Timbó S/A (Cetisa).

INTRODUÇÃO

A Mesopotâmia possuía vários povos que dominavam seus territórios e, dentre eles, os caldeus. No decorrer da formação do Império Caldeu e, sobretudo, no seu momento de auge, obtiveram construções gigantescas. Merece destaque a Torre de Babel e, principalmente, os Jardins Suspensos da Babilônia, que tinha uma dimensão inacreditável e, por esse motivo, resolvemos evidenciar este monumento neste trabalho científico. Portanto, buscamos com esse estudo conhecer um pouco mais da história antiga dos caldeus e, de modo especial, o desenvolvimento da sua arquitetura, sobretudo, na construção dos Jardins Suspensos da Babilônia.


FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Tiago Ferreira da Silva aponta que os caldeus “eram um povo de caráter bélico, violento, escravista e politeísta, que possuía uma estrutura de organização social e política tribal, baseadas na monarquia despótica. O mesmo autor afirma ainda que o “período áureo da Babilônia foi durante os 42 anos do reinado de Nabucodonosor, que construiu maravilhas arquitetônicas (Torre de Babel e os Jardins Suspensos). Contudo, como as informações sobre os Jardins Suspensos da Babilônia são controversas. A Dr. Stephanie Dalley afirma que quem construiu os jardins foi o monarca assírio Senaqueribe (Sennacheribe), há 2.700 anos. O que explicaria porque os Jardins não continuaram em pé: assírios e babilônios eram inimigos. A ideia dessa possível localização veio “após decodificar um texto antigo, em escrita cuneiforme, informando que Senaqueribe havia construído um palácio rodeado por um jardim que seria uma maravilha para todo o povo. Quando os assírios conquistaram a Babilônia, sua capital ficou conhecida como ‘Nova Babilônia’, o que reforçaria os fatos a favor da pesquisa”.

JUSTIFICATIVA

Os caldeus se destacaram no mundo arquitetônico, sobretudo, com destaque na construção de zigurates, modelo arquitetônico aprendido do Império Sumeriano. Ressalta-se com grandiosidade, duas obras: a Torre de Babel e os Jardins Suspensos da Babilônia. A grandiosidade da obra dos Jardins Suspensos nos chamou muito a atenção e fez com que iniciássemos uma investigação sobre a mesma.  Assim, buscamos com este projeto conhecer um pouco mais sobre a civilização dos Caldeus e, sobretudo, no que tange a sua engenharia/arquitetura e assim, estudar mais profundamente a obra denominada de Jardins Suspensos da Babilônia.

FORMULAÇÃO DO PROBLEMA

Como teriam sido construídos e quais eram as principais características arquitetônicas dos Jardins Suspensos da Babilônia?

OBJETIVO GERAL

-Compreender como se deu o processo de construção dos Jardins Suspensos da Babilônia.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
        
-Conhecer aspectos culturais da civilização dos caldeus;
-Aprender sobre sua engenharia/arquitetura;
-Converter as unidades de medida e assim descobrir quais teriam sido as dimensões dos Jardins Suspensos da Babilônia;
-Mostrar por meio de uma maquete como eram os Jardins Suspensos da Babilônia;
-Apontar hipóteses para o desaparecimento dos Jardins Suspensos da Babilônia.

METODOLOGIA

Grande parte do nosso projeto irá se basear em pesquisas bibliográficas que ocorrerão em arquivos históricos e bibliotecas. Além disso, muito material histórico já se encontra digitalizado e, consequentemente, faremos uso também de pesquisas na internet. Todavia, deveremos viajar para a Síria, Turquia, Iraque e Alemanha, com objetivo de conversar com especialistas do assunto, além de pesquisarmos in loco o suposto local onde teria sido construído os Jardins Suspensos da Babilônia. Após a análise do material, iniciaremos o desenvolvimento da parte escrita da nossa pesquisa, anexando a mesma com um grande acervo fotográfico e de vídeos.  A pesquisa finalizada resultará na produção de livro e um documentário que será distribuído gratuitamente nas escolas públicas e privadas da nossa região. Dando visibilidade ao projeto desenvolvido, iremos chamar a imprensa para apresentarmos nossa pesquisa, expondo informações relevantes do trabalho por meio de banners e slides. Finalizando, faremos o lançamento oficial do nosso livro e a estreia do documentário “Desvendando os Jardins Suspensos da Babilônia”.

CONSTRUÇÃO DE MAQUETE: JARDINS SUSPENSOS DA BABILÔNIA


CONSIDERAÇÕES FINAIS

A pesquisa nos mostrou o quanto importante e envolvente foi conhecer mais sobre o povo Caldeu. Além disso, ajudou a compreender ainda mais a importância e significado do que representou a construção dos Jardins Suspensos para os Caldeus e sua contribuição para o campo da arquitetura.

REFERÊNCIAS

Angelfire. Jardins Suspensos da Babilônia. Disponível em:  http://www.angelfire.com/me/babiloniabrasil/jardinsus.html  Acesso 27 Agosto 2017.

BEZERRA, Eudes. Os Jardins Suspensos da Babilônia: Museu de Imagens. Disponível em: http://www.museudeimagens.com.br/jardins-suspensos-babilonia/. Acesso em: 9 maio 2017.

FERNANDES, Danilo Silvestre. Jardins suspensos da Babilônia seriam na verdade de Nínive?. Disponível em: . Acesso em: 9 maio 2017.

FREITAS, Ana. Encontraram a localização dos Jardins Suspensos da Babilônia. Disponível em: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI345756-17770,00-ENCONTRARAM+A+LOCALIZACAO+DOS+JARDINS+SUSPENSOS+DA+BABILONIA.html Acesso 27 Agosto 2017.

História Mais. Os Jardins Suspensos da Babilônia. Disponível em: . Acesso em: 9 maio 2017.

History. Possível localização dos míticos Jardins Suspensos da Babilônia intriga pesquisadores. Disponível em: . Acesso em: 7 maio 2017.

SILVA, Tiago Ferreira da. Caldeus. Disponível em: http://www.infoescola.com.br/civilizacoes-antigas/> Acesso em: 10 maio 2017.

SILVA, Tiago Ferreira da. Jardins Suspensos da Babilônia. Disponível em: . Acesso em: 9 maio 2017.

Sua Pesquisa, Caldeus. Disponível em: http://www.suapesquisa.com/historia/caldeus.htm Acesso em: 10 maio 2017.


Questões de Geografia UFSC


Questões originais e de simulados no padrão da prova da UFSC.

1 – Observe o mapa abaixo:
Assinale as assertivas corretas:

01. A classificação do relevo brasileiro, de Aziz Ab Saber, levou em consideração os processos morfoclimáticos responsáveis pela dinâmica atual e pretérita do relevo; o título da sua classificação é
Domínios Morfoclimáticos do Brasil.
02. As principais planícies do Brasil, evidenciadas na classificação de Aziz Ab Saber, são a Amazônica, a do Pantanal e a Costeira.
04. A classificação do relevo brasileiro, de Aroldo de Azevedo, em bacias sedimentares e planaltos  cristalinos, serviu de referência para a classificação de Ab Saber.
08. O Planalto das Guianas consiste na principal região de nascente dos rios afluentes da margem direita do rio Amazonas, que vão desaguar na Ilha de Marajó.

2 – Sobre a Geografia Geral e do Brasil assinale somente as assertivas corretas:
01– Os Alpes europeus abrangem áreas desde a península Ibérica até o leste europeu, com destaque para a Grécia.
02 – A Noruega é um país com excelentes indicadores sociais que fica na Escandinávia.
04 – A Ásia é o continente com maior extensão territorial do planeta, e nela encontramos os dois países mais populosos do mundo que são respectivamente China e Índia.
08 – O maior dobramento moderno do mundo é a Cordilheira do Himalaia, tendo o monte Everest como ponto culminante do planeta com mais de 8 km de altitude.
16 – O Rio Nilo é o principal rio do continente africano, ele nasce na Nigéria passando pela República Democrática do Congo até chegar ao norte no Egito.
32 – Entre as paisagens desérticas da África, destacam-se a do Saara ao norte e a do deserto Kalahari ao sul do continente.

3 – Sobre a Geografia Geral e do Brasil assinale somente as assertivas corretas:
01 – O momento em que a o Hemisfério Sul encontra-se mais iluminado e quente é no dia 21 de dezembro, pois encontra-se no periélio da translação o que torna este dia o mais iluminado.
02 – A Zona Intertropical do planeta corresponde às áreas entre 23 graus e 27 minutos sul e norte.
04 – A Terra possui cerca de 40000 km de circunferência, já que a mesma é arredondada podemos dizer que na região equatorial teríamos aproximadamente 111km para cada 1 grau.
08 – A translação provoca a sucessão das estações do ano, é um movimento que ocorre de leste para o oeste e possui o zênite para o trópico de câncer no dia 21 de março.


4 – Sobre a Geografia Geral e do Brasil assinale somente as assertivas corretas:
01 – Durante a era Pré-cambriana o território que atualmente configura o Brasil foi atingido pelos dobramentos verificados na costa oeste da América do Sul, que deram origem à Cordilheira dos Andes.
02 - As cordilheiras do oeste do continente americano representam o perigo dos terremotos e faz o homem lembrar de que a base rochosa na qual vive é apenas aparentemente imóvel.
04 – Os movimentos verticais orogenéticos são verificados nos Alpes europeus, Cordilheira dos Andes e Himalaia e Montanhas Rochosas.
08 – A crosta terrestre é a camada onde o ser humano vive, nesta espessa camada que pode chegar à mais de 6 mil quilômetros encontramos uma grande diversidade de elementos minerais distintos. Ou seja a crosta não é homogênea.


5 – Sobre a Geografia Geral e do Brasil assinale somente as assertivas corretas:

Figura 1


Figura 2





Figura 3


01 – A erosão eólica é a principal modeladora natural das paisagens desérticas.
02 – A abrasão marinha acontece quando a força das águas do mar age na rocha fragmentando-a e consequentemente favorecendo a formação da areia das praias.
04 – Os solos predominantes no território brasileiro são os hidromórficos porque o país possui climas quentes e úmidos.
08 – A figura 1 mostra o Pão de Açúcar, este é uma feição de relevo onde a rocha se expõe e o tipo de solo que ocorre no seu rebordo imediato é o litossolo.
16 – A figura 2 mostra um rio de baixa declividade que forma meandros, representando uma área onde predomina a deposição de sedimentos.
32 – A figura 3 está representando o vulcanismo, um agente exógeno modelador do relevo.

6 – Observe, com atenção, o mapa abaixo e suponha a realização de uma viagem percorrendo o trajeto descrito pela linha que vai do ponto demarcado com a letra A até o ponto C.

FONTE: Adaptado do mapa dos Meios de Transporte - Atlas Escolar de SC - 1991

        Com relação a esse trajeto, identifique a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S).

01.    O trajeto da viagem é realizado, em parte, através da BR 101, a principal rodovia federal de Santa Catarina, que corta o estado acompanhando a faixa litorânea.
02.    Ao longo desse percurso, o ponto assinalado com o no 1 indica a localização do Balneário Camboriú, importante centro turístico do Estado.
04.    A letra A, que assinala o local de partida da viagem, corresponde à cidade de Florianópolis, capital do estado de Santa Catarina, onde teve destaque a colonização açoriana.
08.    O percurso da viagem de A a B obedece ao sentido sul-norte e de B a C, o sentido leste-oeste, atravessando uma região catarinense dedicada à pecuária de corte.
16.    O no 2 indica a cidade de Joinville que se destaca por sua diversificada produção industrial e também como o município mais populoso do Estado.
32.    A segunda parte da viagem, que vai de B a C, é realizada pela BR 470 e percorre parte do Vale do Itajaí-Açu, área com destaque no contexto econômico catarinense.

7 – Sobre o processo de industrialização do sudeste brasileiro, assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S).

01.    O destaque alcançado pelas indústrias do sudeste comprova que o processo de industrialização do Brasil está relacionado exclusivamente ao capital proveniente do exterior.
02.    As áreas industriais, localizadas fora do eixo Rio- São Paulo, não possuem expressão alguma no contexto da produção industrial brasileira.
04.    A consolidação da região sudeste, como área de grande dinamismo no contexto econômico nacional, faz da cidade de São Paulo o maior centro financeiro do país.
08.    No estado de São Paulo, o crescimento industrial das cidades do interior tem sido insignificante se comparado ao vertiginoso crescimento apresentado ainda hoje pela própria capital.
16.    As indústrias catarinenses têm seu crescimento apoiado exclusivamente no capital proveniente da venda do café no exterior.

8 – Observe atentamente o mapa do Brasil, e assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S).
FONTE: Adaptado de Geoatlas de Maria H. Simielli. São Paulo, Ática, 1996.

01.    O centro econômico, formado pelas duas metrópoles nacionais, São Paulo e Rio de Janeiro, é altamente industrializado e urbanizado, considerado por alguns estudiosos como uma megalópole.
02.    As setas indicam que a Amazônia é uma área de repulsão das fronteiras agrícolas e do povoamento, por se constituir numa região desprovida de toda e qualquer infra-estrutura.
04.    A área de número 3 corresponde à região Sul, com duas metrópoles regionais, e possuidora de uma agroindústria moderna, além de pólos regionais industriais diversificados.
08.    O no 5 assinala a região do sertão nordestino, uma área pouco povoada e com problemas econômicos, em que às dificuldades originadas pelo clima, somam-se as de fundo político.
16.    É possível identificar, no mapa, grosso modo, três macrorregiões distintas, vinculadas à dinâmica da acumulação capitalista em que o no 4 destaca-se pela concentração industrial.

9 – Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S) que tenha(m) relação com o mapa do relevo brasileiro proposto pelo geógrafo Aziz Ab'Saber.

RELEVO, SEGUNDO AZIZ AB'SABER
FONTE:  MAGNOLI, Demétrio e ARAÚJO, Regina. A nova geografia: estudos de geografia do Brasil. Moderna, 1996.

01.    As grandes unidades do relevo apresentadas pelo mapa foram definidas unicamente em função das altitudes médias encontradas no território brasileiro.
02.    O número 2 corresponde ao Planalto Meridional, onde o principal evento geológico foi o intenso derrame vulcânico, assinalando também uma área drenada pelos rios Paraná e Uruguai.
04.    As planícies e terras baixas amazônicas aparecem no número 8 e correspondem à unidade do relevo, recoberta por uma floresta xerófila, caducifólia e de reduzida biodiversidade.
08.    O número 10 representa o Planalto Central recoberto por uma complexidade vegetal e cortado pela calha do rio Paraguai, que atravessa terrenos da era quaternária.
16.    As serras e planaltos do leste e sudeste estão representados pelo número 5, área em que são encontradas grandes jazidas minerais, como as existentes no Quadrilátero Ferrífero.

10)   TEXTO 1.
"A queimada da floresta para plantar cafezais foi a principal causa, mas não a única, do desflorestamento no século XIX.  O comércio do café induziu o crescimento demográfico, a urbanização, a industrialização e a implantação de ferrovias".  DEAN, Warren.  A ferro e a fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica. São Paulo, Cia. das Letras, 1997, p. 206.
       
TEXTO 2.
"A FERRO E FOGO trata da ambição e bravura à custa da depredação desenfreada dos recursos naturais brasileiros.  Desde o início do livro, Dean não deixa dúvidas da sua posição - a eliminação quase total da Mata Atlântica foi uma fatalidade que trouxe danos irreversíveis ao ecossistema e ao clima".  (Revista VEJA, de 30/10/96).

MATA ATLÂNTICA:  EVOLUÇÃO DO DESMATAMENTO
FONTE: Adaptado de Atlas Nacional do Brasil.  IBGE, 1992.

        A partir dos dois textos, observe a seqüência de mapas a respeito da Mata Atlântica e assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01.    O desflorestamento da Mata Atlântica não tem relação com os sucessivos ciclos da economia brasileira e nem com a derrubada da mata para a utilização do espaço por ela ocupado.
02.    A eliminação quase total da Mata Atlântica teve seu início já nos primórdios da colonização e prosseguiu ao longo dos diferentes períodos históricos, trazendo danos ao equilíbrio ambiental.
04.    A ocupação humana da região sudeste acelerou-se, consideravelmente, a partir do século XIX, exigindo mais espaços, o que implicou o desmatamento da formação vegetal acima explicitada.
08.    Como se pode observar nos mapas, originalmente a Mata Atlântica acompanhava com pequenos intervalos a faixa litorânea brasileira, do Nordeste ao Rio Grande do Sul, e as áreas remanescentes estão relacionadas à instalação de parques nacionais, estações ecológicas e às escarpas das serras.
16.    A observação dos mapas permite concluir que, nos anos 60, a política ambiental implementada pelos governos militares favoreceu, através de intensos reflorestamentos, a recuperação desse domínio morfoclimático.


segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Acafe 2018 - Verão - Geografia comentada

Segue abaixo prova de verão do Vestibular da ACAFE 2018. Já começo com boas notícias aos alunos mais estudiosos! A prova mudou a configuração da maioria das questões e isso aumentou sensivelmente a dificuldade da prova de Geografia. Como professor, adorei as mudanças, olhando as assertivas pontualmente elas continuam simples, no entanto, o volume de conteúdo que precisava saber era maior.

Por fim, foram duas questões onde foi solicitado “EXCETO” uma que pedia a correta e quatro questões que solicitavam a questão com uma sequência de V ou F. Este tipo de questão com julgamento de várias assertivas acaba exigindo mais leitura da prova e aumenta um pouco o nível de dificuldade.

Conforme a tradição da prova, tivemos mais de uma questão com atualidades no seu ínterim e questão completa sobre Santa Catarina. Da parte conceitual pra valer o foco foi na Geografia Física.

Jonathan Kreutzfeld


57 - Não há um consenso monolítico sobre as mudanças climáticas.



58 - 

Primeira falsa: Na região do clima litorâneo úmido (5) as chuvas predominantes são do tipo orográficas ou de relevo e mesmo quando há chuvas frontais o predomínio é de massa polar se encontrando com tropicais.

Segunda falsa: O Subtropical é o número 4 e o número 5 é litorâneo úmido.


59 - A região sul não reúne as principais fontes termais, embora as possua também. Além disso, a colonização predominante da região sul do estado é de origem italiana.


60 - 

Primeira falsa: O Brasil segue ideias do Consenso de Washington desde os anos 1990. Associar isso ao governo Temer é quase uma piada.

Segunda falsa: A queda do muro de Berlim representou o fim da URSS, já as barreiras físicas entre os países existem em diversos lugares ainda. Conforme link abaixo.



61 - 

Primeira falsa: O planalto das guianas é de domínio dos escudos cristalinos.

Segunda falsa: Mesozóica é "Era" e não período, e pra confirmar o erro, a Era mais recente seria Cenozóica.

Obs: A primeira verdadeira não consta "Planalto das Guianas", porém na questão não diz que seria apenas os planaltos mencionados, mas fica estranho.


62 - II - incorreta: FARC significa Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e em setembro de 2017 entregaram as armas e se transformaram em partido conforme link abaixo.


IV - incorreta: A crise dos mísseis aconteceu na década de 1960 durante a Guerra Fria e impôs embargos à economia de Cuba. A crise na Venezuela é fruto do baixo valor do petróleo e má gestão do país.


63 - Em outras palavras, os mais pobres, em geral terão acesso as novas tecnologias no momento em que começam a ficar defasadas.