Postagens populares

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sumidouro de Carbono na Amazônia

Como administrar o sumidouro de carbono?



  ESPECIAIS - A AMAZÔNIA EM DEBATE
Como administrar o sumidouro de carbono?
Capitalização do excedente de gás carbônico absorvido pela Amazônia gera polêmica 

O Já se acreditou que a Amazônia fosse uma das principais fontes de oxigênio do planeta. As campanhas para sua preservação apresentavam-na como o ’pulmão do mundo’. Porém, descobriu-se que a floresta consome quase todo o oxigênio que produz, e sua biodiversidade tornou-se a principal bandeira dos ecologistas. No entanto, estudos recentes deram nova munição aos defensores da Amazônia: constatou-se que ela absorve mais gás carbônico que o estimado.
Pesquisas recentes indicam que a Amazônia absorve mais gás carbônico do que emite

As pesquisas indicam que o balanço do CO2 absorvido na fotossíntese e o liberado pela respiração ou decomposição não é nulo, como acreditavam os cientistas. "Não se sabe ao certo a causa do fenômeno", afirma Carlos Nobre, meteorologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). "Acredita-se que em uma atmosfera commaior concentração de gás carbônico, as plantas absorvam mais esse gás." O destino do excedente absorvido também é uma incógnita. Especula-se que ele possa levar as árvores a crescer mais, ou ser direcionado ao solo através das raízes.

No entanto, o balanço positivo do gás carbônico absorvido pela floresta é ameaçado pela emissão do gás nas queimadas. O Brasil é responsável por uma pequena parcela das emissões mundiais do composto, que contribui para o efeito estufa. Ao contrário do que ocorre em muitos países, a maioria das emissões nacionais não resulta da queima de combustíveis fósseis. "As queimadas emitem cerca de cinco vezes mais que os combustíveis, sem trazer benefícios para a população", afirma o ecólogo Philip Fearnside, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Além de contribuir para o efeito estufa, o fogo destrói o sumidouro de gás carbônico.

Queimadas são responsáveis pela maior parte das emissões brasileiras de CO2

O aumento da emissão de CO2 devido à queima da floresta, associado à inadequação da maior parte do solo amazônico à exploração pela agricultura ou por pastagens, fazcom que desmatar seja economicamente desaconselhável. Preservar a Amazônia pode até render dividendos ao Brasil: é possível que o protocolo de Kyoto, que prevê que os países desenvolvidos reduzam a emissão de gás carbônico a índices inferiores aos de 1990, permita que esses países paguem aos que detêm florestas para não desmatá-las.

"Se isso acontecer", diz Fearnside, "o retorno econômico estimado do carbono conservado na terra florestada será maior que qualquer investimento feito nela." Projetos para evitar o desmatamento poderiam ser pagos pelos países poluidores. "Resta saber comcomprovar que um projeto conservou certa quantidade de gás carbônico."

A solução, porém, encontra resistência dentro e fora do Brasil. Algumas organizações ecológicas discordam desse comércio, pois alegam que não solucionaria o problema da emissão de CO2 pelos países desenvolvidos. O governo brasileiro e alguns pesquisadores temem pela soberania nacional. Os cientistas ouvidos pela CH on-line , no entanto, não vêem fundamento na preocupação. "Os projetos teriam tempo determinado, e não afetariam de modo algum a soberania", diz Nobre. 


Renata Ramalho 

Ciência Hoje/RJ

Fonte: http://cienciahoje.uol.com.br/especiais/a-amazonia-em-debate/como-administrar-o-sumidouro-de-carbono 

Nenhum comentário:

Postar um comentário