Postagens populares

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

O Estado Islâmico

O Estado Islâmico do Iraque atualmente conhecido apenas como Estado Islâmico é um grupo jihadista radical o que significa dizer que querem que as palavras de Alá sejam seguidas por todos, os jihadistas querem que o Islamismo domine os territórios nem que seja à força. Eles conseguiram recrutar milhares de combatentes e o EI é considerado o braço iraquiano da Al-Qaeda que é um grupo bastante conhecido por sua atuação no Paquistão e Afeganistão.

O EI é dirigido por Abu Bakr al-Bagdadi. Em abril de 2013, Bagdadi anunciou que o Estado Islâmico do Iraque e a Frente Al-Nosra, um grupo jihadista presente na Síria, se fundiriam para se converter no Estado Islâmico do Iraque e Levante.

Mas a Al-Nosra negou-se a aderir a este movimento e os dois grupos começaram a agir separadamente até o início, em janeiro de 2014, de uma guerra entre eles.

O EI contesta abertamente a autoridade do chefe da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, e rejeitou seu pedido de que se concentre no Iraque e deixe a Síria para a Al-Nosra.

O efetivo do EI é estimado entre 5 mil e 6 mil combatentes no Iraque e entre 6 mil e 7 mil na Síria.

Na Síria, a maioria dos combatentes em terra são sírios, mas seus comandantes costumam chegar do exterior e lutaram em Iraque, Chechênia, Afeganistão e em outras frentes. No Iraque, a maioria dos combatentes são iraquianos.

O alto comando do Estado Islâmico, tanto na parte religiosa como combatente é liderado por diversas pessoas diferentes, todas de países islâmicos do norte da África e Oriente Médio. O EI também conta com centenas de combatentes francófonos, como franceses, belgas e magrebinos.

O EI não parece contar com o apoio de nenhum Estado e em princípio sobrevive de doadores individuais, em sua maioria oriundos do Golfo Pérsico. No Iraque, o grupo também depende de personalidades tribais locais.

O EI tomou em janeiro, junto com outros grupos insurgentes, o controle de Fallujah e de setores de Ramadi, a oeste de Bagdá.

Na Síria é considerado a força combatente mais eficaz contra o regime do presidente Bashar al-Assad.

Mas depois de ter sido acolhido favoravelmente por alguns rebeldes sírios, acabou pegando em armas contra eles.
Esta mudança se deveu a sua vontade hegemônica e às atrocidades que são atribuídas ao grupo, sobretudo o sequestro e a execução de civis e de rebeldes de movimentos rivais.

Definição de Jihad Islâmica

Jihad Islâmica é uma facção palestina, que surgiu na década de 70, na Faixa de Gaza. A Jihad Islâmica tem como principal objetivo criar um Estado palestino islâmico e destruir Israel, através de uma guerra santa, definida por eles. O grupo é também conhecido por seus atentados terroristas, e são totalmente contra os países do Ocidente.

O avanço do Estado Islâmico

Área de atuação de jihadistas (radicais islâmicos)

Recente morte de jornalista

Desfile de combatentes do EI

 Eliminação étnica

Fontes:



Nenhum comentário:

Postar um comentário