segunda-feira, 23 de novembro de 2020

O RCEP e a Novíssima Ordem Mundial

 

O RCEP (Regional Comprehensive Economic Partnership ou Parceria Econômica Regional Abrangente) será maior que a União Europeia e o NAFTA (North America Free Trade Agreement ou Acordo de Livre Comércio da América do Norte). Os membros somam quase um terço da população mundial e do Produto Interno Bruto (PIB) do planeta.

Características

O acordo não almeja tudo aquilo que a União Europeia, por exemplo, faz, ele é fortemente focado em questões essencialmente comerciais. Ele eliminará tarifas de importação pelos próximos 20 anos. O acordo também inclui dispositivos sobre propriedade intelectual, telecomunicações, serviços financeiros, comércio eletrônico e alguns serviços profissionais.

Um dos pontos mais importantes é simplificar o comércio entre os membros extinguindo os acordos bilaterais já existentes. Com isso, um produto ficará ainda mais competitivo quando envolver cadeias produtivas dos países membros que não terão tarifas entre eles até concluir o produto. Exemplo simples pode ser um tênis da Nike montado no Vietnã com partes vindas de China e Indonésia. O entre meio dessas relações seria isento.


Qual o impacto na economia mundial?

A ideia do acordo nasceu em 2012 e foi vista como uma forma de a China, maior importadora e exportadora da região, enfrentar à influência que os Estados Unidos vinham exercendo ali durante o governo de Barack Obama quando surgiu a TPP que é a Parceria Transpacífica, da qual faziam parte México, Chile e Peru, mas não a China.

O TPP era um bloco muito grandioso até que Donald Trump decidiu sair e o acordo passa a ter pouca influência na economia mundial. Era como se o bloco tivesse morrido.

Assim sendo, a guerra comercial entre Estados Unidos e China e a política nacionalista de Trump ("America first") acabaram com a ideia de Obama de olhar mais para a Ásia e serviram para dar força ao RCEP, que pode ser considerado o melhor momento da China de assumir um posto muito grandioso diante do que podemos chamar de “Novíssima Ordem Mundial”.

O RCEP coloca a China exatamente no lugar onde os EUA menos gostariam, pois ao contrário da política dos últimos 4 anos do Trump, a China vem ganhando espaços onde os americanos adorariam se expandir e manter o protagonismo na Geopolítica mundial.

(Re) Fortalecimento dos Mega Acordos?

Os grandes acordos mundiais começaram a avançar durante a expansão do capitalismo durante os anos 1990 sem a participação da recém extinta URSS. União Europeia, Nafta e Mercosul são alguns dos importantes acordos que se articularam no período e Ásia, África e grande parte da América Latina fechavam acordos bilaterais e atuavam pouco em blocos. Com a ascensão chinesa, um novo protagonismo que compete com EUA e União Europeia ganha forcas principalmente por se aliar aos japoneses. Fato importantíssimo para o fortalecimento do RCEP nos tempos atuais. Afinal os japoneses e também não podemos esquecer dos coreanos, são grandes detentores de patentes e marcas porém carentes de recursos e precisam de parceiros importantes para “concluir seus produtos”. E se for perto de casa, possivelmente seus produtos também se tornam ainda mais competitivos.

O RCEP está aí, e agora os outros acordos vão precisar trabalhar para competir no que parece ser o que quero chamar de Novíssima Ordem Mundial onde quem precisará trabalhar muito dentro de sua estrutura econômica e comercial é Joe Biden. Se alguém daqui não entende o porquê disso, assista o premiado documentário Indústria Americana no Netflix que ele por si só lhe dará instrumentos para compreender o “perrengue” que nem Obama nem Trump conseguiram resolver.

Jonathan Kreutzfeld

Fonte:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/11/18/como-o-rcep-o-maior-tratado-de-livre-comercio-do-mundo-afeta-o-brasil-e-a-america-latina.ghtml

https://brasil.elpais.com/internacional/2020-11-16/china-e-outros-14-paises-da-asia-e-oceania-assinam-o-maior-acordo-comercial-do-mundo.html

https://veja.abril.com.br/blog/agro-global/megabloco-rcep-consolida-comercio-e-cadeias-de-valor-da-asia/

https://economia.uol.com.br/noticias/bbc/2020/11/17/como-o-rcep-o-maior-tratado-de-livre-comercio-do-mundo-afeta-o-brasil-e-a-america-latina.htm

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário